quinta-feira, julho 09, 2009

o futuro já não é o que era

"Desde os seus primórdios que o cinema sonhou com o futuro, em fantasias idealizadas ou em antevisões catastrofistas. A ficção científica, tanto no cinema como na literatura, sempre existiu nestes dois pólos opostos, isto é, tanto como um alerta para os perigos da ciência e da evolução da sociedade, como uma exaltação do melhor que existe no progresso científico. Mas é verdade que há 50 anos muitas das visões do futuro eram mais positivas. Basta olharmos para os filmes actuais de ficção científica, em que imperam visões mais negativas de sociedades totalitárias, de calamidades ecológicas globais, para vermos que o futuro já não é o que era…"

PS. vale a pena

1 comentário:

rouxinol de Bernardim disse...

Os Júlios Vernes da era moderna será que foram atacados pelo «vírus» do pessimismo?!