segunda-feira, abril 30, 2007

se a ansiedade matasse...


... já nao estaria aqui

sábado, abril 28, 2007

agriões

directamente de um dos jardins da ROM... ainda nao os comi, mas vai ser certamente a melhor salada de sempre

Carl Gustav Jung dixit

"Toda forma de vício é ruim, não importa que seja droga, álcool ou idealismo"

sexta-feira, abril 27, 2007




sapatos novos, sem par, de etiqueta chinesa... já lá nao estão... a placa sim

quinta-feira, abril 26, 2007

Charlie Chaplin dixit

"A vida é uma tragédia quando vista de perto, mas uma comédia quando vista de longe"

dias de vento...

... como hoje, deixam-me nervoso, irritadiço, nao sei porque...

... apesar disso conheci hoje 2 sitios na ROM, os mais belos que existem, 2 autenticos jardins, feitos com tanto amor que sao de uma beleza indescritivel... provavelmente só meia duzia de pessoas os conhecem...

... a ROM é assim, cheia de surpresas...

a encher chouriços...


ainda a reuniao do grupo de trabalho. como nao conseguimos acesso à acta oficial, cá vai uma alternativa, de autoria de (fácil descobrir) e ligeiramente censurada, por mim :|

"Aos três dias do Mês de Abril do ano da graça de dois mil e sete, reuniu-se na Câmara Municipal de Vila do Conde, em Vila do Conde, Portugal o grupo de acompanhamento da ROM. Nesta reunião estavam presentes o presidente da Câmara de Vila do Conde Mário Almeida, o vereador Víctor Costa, o Vice-Presidente do ICN, o amiguinho dele que não sei o nome, João Honrado da FCUP, Teresa Andresen também da FCUP (que chegou atrasada por causa da semana santa em Braga), o presidente da Junta de Labruge, o Presidente da Junta de Árvore, o Sr.Benjamim (dono do Café-Restaurante Estaleiro em Vila Chã), um representante da junta de Mindelo, Miguel Torres (dos Amigos do Mindelo e escritor de actas), Paula Duarte (gaja fixe dos Amigos do Mindelo), o Filipe de Árvore (gajo fixe dos Amigos do Mindelo) e o Engº Luis Oliveira (homem que mais manda na Câmara segundo o Mário Almeida).

A reunião começou com um pedido de Mário Almeida a João Honrado para que enchesse chouriços enquanto Teresa Andresen não chegada, tarefa essa que foi cumprida com bastante qualidade. Depois de ter enchido 3 chouriços, 2 morcelas e 4 alheiras, chegou Teresa Andresen com um mapa em A0 com a delimitação da Área Protegida de Mindelo. Esta tomou imediatamente a palavra dizendo as linhas erais do projecto, algo que não seria novo para quem leu a proposta.

O Vice-Presidente do ICN disse que em principio não existiriam grandes entraves à sua aceitação, faltando limar algumas arestas, a mais importante seria a questão do nome, já que numas propostas aparecia Mindelo e noutra litoral sul de Vila do Conde. A partir daí só se falou do nome. Mário Almeida referiu a carta impertigada do dono do Café Estaleiro que se a área fosse apenas Mindelo então ela que fosse dar a volta que não entrava em Vila Chã. Teresa Andresen referiu o nome Mindelo como um dos factos marcantes da História da defesa do património natural mas compreendeu que era mais necessário evitar polémicas. A junta de Mindelo não colocou entraves a um nome como Paisagem Protegida de Vila do Conde e João Honrado quis acrescentar a palavra litoral.O vice-presidente do ICN elogiou as iniciais PPLVC que seriam melhores que PPVC.

Quando o presidente ia dar por terminada a reunião Miguel Torres interpelou a equipa da FCUP sobre a abrangência da proposta. Referiu que a proposta iria sem dúvida defender o património natural mas não iria estruturar o território. Os 2 mecanismos estruturantes do território são as vias e a estrutura ecológica e que neste caso a estrutura ecologica resumia-se à frente marítima e não a corredores pelo interior. A equipa da FCUP concordou com a ideia mas referiu que este foi o consenso a que se pode chegar, sendo o mais importante salvaguardar a área escolhida. A partir daqui será possivel em revisão do pdm assegurar uma estrutura ecológica que permita estrutural o território. O presidente da Câmara de Labruge disse que era tudo muito bonito mas o que ia ser o grande problema do mundo no futuro era a energia e isto não irá resolver o problema da energia no mundo. Toda a gente concordou que se perdeu uma grande oportunidade para resolver o problema energético no planeta com esta reunião.

No final Víctor Costa perguntou a Miguel Torres e Paula Duarte se tinham gostado do que ouviram e disse que foi a solução possível e que agora há muito a fazer mas que podem contar sempre com ele para falar. Ambos disseram que também estariam sempre dispostos a dialogar. Depois o vereador, amável, convidou-os a sair da sala juntamente com os presidentes de junta já que aí iria ocorrer uma conferência de imprensa. Mal os pôs cá fora entraram os jornalistas!

Está tudo dito!"

terça-feira, abril 24, 2007

revolução!


nas minhas emoções

PS. tenho saudades da minha camisa...

revolução?


"Foi sobretudo depois da Revolução do 25 de Abril de 1974 que a política de ambiente em Portugal se desenvolveu, mas alguns anos antes já havia sinais de que este se tornaria uma das preocupações centrais do Estado. As cheias de 1967, que provocaram a morte de 500 pessoas na região de Lisboa, assim como a conferência mundial de Estocolmo, em 1972, foram determinantes para a emergência das preocupações ambientais no País." Mais aqui

será isto verdade? pensando que a ROM foi criada em 1957, e que depois do 25 de Abril acelerou a sua degradação e as tentativas de urbanização...

quinta-feira, abril 19, 2007

é só deixar rolar



Rolar, as rolas na ROM
Por MOR da Vida seguir
Rolando as ondas na areia
A Vida sem se extinguir

Foram anos a lutar
como o mar, beijando a terra
Com força ou de mansinho
Com palmas ou numa guerra
Para a ROM se salvar
Ficar aberto o caminho
Para o Sonho se concretizar.

Rolar, as rolas na ROM
Por MOR da Vida seguir
Rolando as ondas na areia
A Vida sem se extinguir

Foram anos a lutar
como o mar, beijando a terra
Com força ou de mansinho
Com palmas ou numa guerra
Para a ROM se salvar
Ficar aberto o caminho
Para o Sonho se concretizar.

"Eu não sou escritora, nem dotora nem engenheira, nem sequer andei numa "UnI"... Só Mãe que viu bem o que a ROM foi para ti com AMOR"

bla bla bla

ontem fomos jantar... fazes-me falta, é certo, para muita coisa, mas em especial para conversar... reparaste como estivemos quase 4h lá? e ficou tanto por dizer...

O Poder do Cidadão


Participação Pública e Ambiente

HOJE, em Serralves, 17:00 às 19:30

"Quando o conceito de Participação Pública é mencionado no âmbito das questões ambientais, refere-se geralmente ao período de auscultação da população no decorrer de um processo de decisão ambiental.
Contudo, este conceito é muito mais abrangente e complexo que o procedimento descrito (muitas vezes condicionado por questões de limitação no acesso à informação).
Cada vez mais o cidadão é chamado a intervir, não apenas porque começa a exigir o direito a ser ouvido, mas também porque responsáveis de diversos quadrantes começam a aperceber-se da importância de ouvir os cidadãos, envolvendo-os nas decisões, responsabilizando-os.
Neste contexto têm sido desenvolvidas algumas ferramentas, que estimulam à participação das populações na vida pública e política, facilitando este processo mas sem o simplificar."

nao podia concordar mais... infelizmente nao poderei estar presente

"novo" desafio profissional


cá vou eu!!! cheio de incertezas mas com fortes esperanças

avaliação

ontem, no final da palestra sobre DS em Mindelo, decidi fazer o seguinte questionário de avaliação aos participantes:
- O palestrante devia, no mínimo, ser internado
- Só estive aqui porque fui obrigado
- Quero ser “amigo do mindelo”, amanhã ofereço-me como voluntário
Tinham que avaliar a sua concordância de acordo com a seguinte escala:
–1 não concordo nada
–2 concordo um poucochinho
–3 sei lá!
–4 é capaz de ser verdade
–5 concordo totalmente

As respostas foram:
1 1 1 1 1 1 1 2 1 1 2 1 5 1 1 1 1 1 1 1 1 1 2 3 1 1 2 4 1 1 1 1 5 1 1 1 1 1
1 2 1 1 1 1 2 1 1 1 2 1 5 1 1 1 1 1 1 1 1 3 4 1 2 1 1 2 4 4 1 1 1 1 1 1 1 1
5 4 4 4 3 4 4 4 4 4 2 5 1 4 3 3 4 4 4 3 2 4 4 5 4 4 4 3 1 4 4 1 4 4 3 4 2 4

O concretizar de um sonho

cá vai, em primeira mão, a minha ultima cronica, a ser publicada no primeiro de janeiro de amanhã

Desenvolvimento Sustentável em Mindelo
O concretizar de um sonho

Aprendi a gatinhar nas areias de Mindelo, 34 anos atrás. Quem me via a carregar areia no meu camião de plástico ou a construir castelos e pontes bem que pode ter achado que teria um futuro brilhante na construção. Mas não. O que eu gostava mesmo era de explorar as “pocinhas” que se formavam nos rochedos, quando a maré vazava. De brincar com as estrelas-do-mar, com as anémonas e com as algas. De ir apanhar mexilhões e lapas com o meu Pai. E à tarde refugiar-me do calor nos canaviais perto de casa, onde construía cabanas e montava emboscadas. Hoje em dia as “pocinhas” ainda lá estão. Os canaviais é que já não, em grande parte transformados em casas.
Foi só em 1994 que visitei a Reserva Ornitológica de Mindelo pela primeira vez, ou melhor, que explorei aquela enorme área “oculta” entre Mindelo e Árvore. Chovia torrencialmente e por todo o lado havia lagos, pelo que tivemos de “saltar” de duna em duna. Nessa altura não fazia ainda ideia das ameaças que pairavam sobre este espaço, nem conhecia o longo historial de estudos científicos aqui realizados que remontam, pasme-se, aos finais do século XIX! Este dia acabaria por ser marcante para a decisão de, três anos mais tarde, decidirmos vir morar para Mindelo.
“Pensar Global, Agir local”. Enquanto ambientalista em gestação, tratei de descobrir quem era aquela gente que, de forma pioneira, protegia as dunas e reciclava o lixo. Acabei por ir bater à porta da sócia n.º 1 dos Amigos do Mindelo. Tanta coisa que havia para fazer! Por isso decidi começar pela ROM. Havia que dar continuidade a tantos anos de luta em defesa da criação de uma área verdadeiramente protegida. Dez anos antes, em 1987, tinha sido feito o “Plano Preliminar da Área de Paisagem Protegida do Mindelo - Vila do Conde”. Mas tudo continuava na mesma.
Os anos seguintes foram passados a chamar a atenção para este espaço, a tentar mostrar todo o seu potencial. A dinamizar visitas de escolas e palestras, a distribuir pára-ventos no Verão e guarda-chuvas no Inverno, a organizar peças de teatro e concursos, exposições e debates, a distribuir folhetos, cartazes e autocolantes, a recolher assinaturas e afixar faixas, a promover anilhagens de aves e limpezas de lixo, plantações de árvores e de placas. A fazer estudos e pareceres, seguir mapas e tirar fotografias, a mandar cartas e e-mails, a passar (literalmente) milhares de horas em reuniões e ao telefone. A dar entrevistas, muitas entrevistas…
Mais dez anos passaram (como é estranho o tempo). Os Amigos do Mindelo cresceram. A ROM afirmou-se. A Câmara Municipal decidiu-se e vai enviar o pedido de classificação de paisagem protegida para o Instituto de Conservação da Natureza. O consenso é geral. Há que criar um espaço de conservação da natureza e educação ambiental, a pensar na qualidade de vida dos que cá moram e dos que para cá virão morar. Sim, porque quem mais irá ganhar no meio disto tudo são os proprietários e a malta do imobiliário. Quem não irá querer morar perto da única área protegida da região, que até uma estação do metro tem?
“Desenvolvimento Sustentável em Mindelo - O sonho de uma comunidade que quer ser exemplo nacional”. Foi este o título de um artigo que escrevi em Dezembro para a revista do Eixo Atlântico. Foi este o tema da palestra que esta quarta-feira dei na Universidade Católica, contando aos alunos de Engenharia do Ambiente, e aos de Educação Ambiental (futuros facilitadores de Ecoclubes), a história de dez anos maravilhosos. Como a Agenda 21 de Mindelo mobilizou a população para definir o seu Futuro, como os Ecoclubes nasceram e se espalharam pelo País, como é fácil reciclar os resíduos ou cozinhar com o Sol. Como tiramos centenas de pessoas do sofá e as levamos a passear na natureza.
“O sonho de uma comunidade que quer ser exemplo nacional”... o leitor crítico deve estar a pensar “presunção e água benta, cada um toma a que quer”. Ou se preferirmos, para a vaidade e para a devoção não há limites. Bem, o nosso segredo é muito da última e alguma coisa da primeira. Afinal, também há que puxar pelo orgulho em ser Mindelense para animar a malta, né?
A criação da área protegida será para Mindelo (e Vila do Conde) o concretizar de um sonho. A comunidade irá acordar para uma realidade mais sustentável e, a todos os títulos, mais agradável. Aos poucos, é certo, com percalços e muito esforço. Mas o primeiro passo fica dado. Um dia talvez sejamos mesmo um exemplo nacional.
A nível pessoal, fecha-se um ciclo, em que o sonho comandou a vida. De muitos pulos e avanços, mas também de quedas sofridas. Passarei o testemunho, mas não sem antes abraçar a nova ROM, Fénix renascida aos 50 anos. Assim termina a crónica de uma despedida anunciada.

Pedro Macedo, Amigos do Mindelo

quarta-feira, abril 18, 2007

Pedra Filosofal



Eles não sabem que o sonho
é uma constante da vida
tão concreta e definida
como outra coisa qualquer,
como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul.

Eles não sabem que o sonho
é vinho, é espuma, é fermento,
bichinho álacre e sedento,
de focinho pontiagudo,
que fossa através de tudo
num perpétuo movimento.

Eles não sabem que o sonho
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
arco em ogiva, vitral,
pináculo de catedral,
contraponto, sinfonia,
máscara grega, magia,
que é retorta de alquimista,
mapa do mundo distante,
rosa-dos-ventos, Infante,
caravela quinhentista,
que é cabo da Boa Esperança,
ouro, canela, marfim,
florete de espadachim,
bastidor, passo de dança,
Colombina e Arlequim,
passarola voadora,
pára-raios, locomotiva,
barco de proa festiva,
alto-forno, geradora,
cisão do átomo, radar,
ultra-som, televisão,
desembarque em foguetão
na superfície lunar.

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida,
que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.

António Gedeão, In Movimento Perpétuo, 1956

terça-feira, abril 17, 2007

Desenvolvimento Sustentável em Mindelo


"O sonho de uma comunidade que quer ser exemplo nacional"

este o título de um artigo publicado no último número da revista do eixo atlantico e de uma palestra a realizar amanhã

"presunção e água benta, cada qual toma a que quer", traduzindo: para a vaidade e para a devoção não há limites estabelecidos

para nós é um simbolo de devoção. com a criação de uma nova área protegida que potencie o patrimonio da ROM, este sonho passa a ser possivel

a nivel pessoal, partilhando o sonho, explicitamente, criam-se as condições para a passagem de testemunho

sexta-feira, abril 13, 2007

As Aves & A Escola

espaço de partilha de experiências pedagógicas que têm as Aves como base de trabalho, de autoria do João Pedro Martins, radicado em évora e, espero eu, a caminho de vila do conde :)
aqui

quinta-feira, abril 12, 2007

este fim-de-semana...


onde eu gostaria de estar! em 2005 foi fantastico... ofereço um premio chorudo a quem me encontrar nas fotografias

e se de repente, alguém...

... te convidar para ir à bulgaria?

"o olho de Deus"


por MC, em Mindelo

seu, pedro macedo


ontem assisti a grande parte da entrevista do nosso sócrates. fiquei assim como que... inquietado. acima de tudo com a relação actual que estabelecemos com os nossos governantes e outras "figuras publicas". somos predadores de vidas, voyers de intimidades e pormenores "sórdidos", mais do que criticos legitimos do papel que estas pessoas desempenham na sociedade. não interessa como governam ou como cantam... e nao aprendemos com o que aconteceu com a princesa diana ou com a britney spears. continuamos a assumir o nosso papel na degradação daqueles que assumem o risco de "dar a cara", pressionando-os de forma insustentavel para que nos alimentem de "noticias" que os envergonhem. criamos monstros como os paparazzi.
os mais fracos cedem. os mais fortes suportam estoicamente estes assaltos (socrates estará algures no meio). com esta verdadeira arena publica conseguimos manter em casa muitos herois potenciais, muitos protagonistas que podiam transformar este mundo numa bola melhor para se viver. somos pior que kryptonite.
nao é facil... sei por experiencia propria, como "humilde" ambientalista. até agora tenho assumido o risco de "dar a cara", em nome da ROM e da AAMDA, sujeitando-me a alguns "enxovalhos" publicos, como é o caso do "pasquim verde" ou mesmo outras coisas mais divertidas, mas ainda assim... inquietantes. por estas e outras sou uma pequena "figura publica" vilacondense com prazo de validade a expirar.

seu (por enquanto)

pedro macedo, licenciado em engenharia

CERN


queres trabalhar com a Victoria Vetra?
a minha vida não é um caos*

*coisas que, apesar de obvias, tenho que repetir a mim próprio muitas vezes para me tentar convencer

directamente do mané

o mané é um daqueles sitios especiais a que nos afeccionamos. com o qual construimos o nosso "espirito do lugar" que nos faz sentir em casa. fica em valença, é um excelente café e restaurante, com jornais e wi-fi à disposição, com dono e empregados acolhedores. tenho passado aqui muitas horas, sentado na esplanada ou refugiado dentro de portas, geralmente com o computador à frente. é praticamente o meu escritorio no vale do minho. e tem a vantagem de ficar mesmo em frente à ESCE onde aos sabados me encontro com os meus formandos-facilitadores da agenda 21 do vale do minho.

passará o meu futuro por aqui? bem, pelo menos no presente representa já a fonte das minhas esperanças - derradeiras - na agenda 21, enquanto casamento entre autarcas e cidadaos. foi alias esta a metafora que usei hoje na minha apresentação na biblioteca municipal, na sessao de assinatura dos compromissos de aalborg por parte dos cinco autarcas da região. assinaram e simbolicamente entregaram os compromissos com a sustentabilidade local a jovens da regiao, para ficarem guardioes das suas vontades em regenerar a politica local. estes em troca ofereceram-lhes desenhos com os seus sonhos e cantaram um hino pela Terra. que Deus os ouça e dê a determinação necessária aos autarcas e cidadaos para trabalharem juntos. da minha parte cá estarei, pelo menos até final deste ano (e da lua-de-mel), quiçá até ao final dos meus dias, para abençoar e facilitar este casamento. conto com a ajuda de duas amigas e de 21 cupidos. resta acelerar e seguir em frente.

segunda-feira, abril 09, 2007

tradição

de facto já nao é o que era... em alguns casos, é bem mais interessante

dia do anjo II


há quem diga que em vila do conde nao os consegue encontrar

dia do anjo

estou estoirado... mas satisfeito. conseguimos, a muito custo, segurar os milhares de piqueniqueiros que pela primeira vez (quase) nao estacionaram em cima das dunas. e ainda distribuimos muitos sacos que o pessoal utilizou para levar o lixo. pena é que a camara nao tenha feito nada, nem sequer colocar mais alguns contentores. o unico que havia na rua eng. mario de almeida ficou a abarrotar de lixo. OK, nos fomos grandes contribuintes: colocamos lá umas largas dezenas de sapatos de etiqueta chinesa que encontramos, dois para-choques e bastante mais lixo. e ainda deu tempo para um belo piquenique e jogo de futebol. obrigado aos caxineiros e demais que aceitaram bem as regras que impusemos para salvaguardar o espaço. todos perceberam a pertinencia da nossa acção e respeitaram o nosso papel: guardioes da ROM. a "autoridade" conquista-se pelo exemplo e nao pelos comunicados e decisoes virtuais.

domingo, abril 08, 2007

quinta-feira, abril 05, 2007

amigos de arvore II

aqui falamos deles, mas nunca é demais, ora então vejamos:





























quarta-feira, abril 04, 2007

o melhor presente do mundo!











“Espero que a 30 de Agosto, quando passam 50 anos da criação da Reserva Ornitológica do Mindelo, pioneira em Portugal, possamos ter criada a Paisagem Protegida do Litoral Sul de Vila do Conde, que já foi assumida pela Junta Metropolitana do Porto como prioridade regional”...

e ainda mais aqui...


terça-feira, abril 03, 2007

O adeus da ROM...



















Hoje, e passados 607 dias, decorreu a tão esperada reunião do grupo de trabalho para a criação de uma área de paisagem protegida, na qual se fez a passagem da ROM para a PPLVC. Assim, ficou acordado que a antiga Reserva Ornitológica de Mindelo (ROM) daria lugar à Paisagem Protegida do Litoral de Vila do Conde (PPLVC).
A ROM foi criada em 1957 e só agora, em 2007, depois de tantas pressões para que a construção vingasse neste lugar, conseguirá o estatuto que a classificará como Paisagem Protegida. Salienta-se o forte movimento cívico em torno desta causa, sem o qual não teria sido possível este final feliz.

aqui

segunda-feira, abril 02, 2007

domingo, abril 01, 2007

1-1

ok... mas, quem é o renteria, hein?