sábado, dezembro 29, 2007

to be continued...


uma última referência, para a família e amigos, como não podia deixar de ser. os primeiros continuam a resistir a tudo e todos, sempre presentes. os segundos continuam a ser a melhor comunidade do mundo.
e assim termina a minha análise biográfica, que começou aqui há mais de 2 anos, primeiro reflexiva e agora mais factual, por pragmatismo e reserva. porque fiz isto? como diria a minha orientadora, "com o trabalho biográfico podemos perceber até que ponto a nossa própria consciência se vai abrindo e sentirmos que sempre esteve connosco (a consciência), embora não estivéssemos sempre conscientes disso. (...) O fio de ouro da vida é o que nós queremos encontrar com o trabalho biográfico (isto no fundo é encontrar o sentido da vida). Podemos começar a ver o livro ou puzzle que somos. é importante compreender o que aprendi de todas as experiências. Que qualidades me obrigaram a desenvolver? Para quê?"

A todos os que fazem parte da minha vida, desejo o melhor dos anos, cheio de novos episódios com final feliz.

3 comentários:

séforis disse...

Bom meu caro Che. Fiquei de facto abalado com tudo isto que foste relatando. Contudo, o que me intrigou mais foi aquele "mudar o mundo". Nasci e cresci com esse ideal e a acreditar nele até ao fim, que sei quando virá, e, por mais que me tentem provar o contrário, continuo a acreditar como se tivesse vinte anos e fosse outra vez aquele super-homem. Como já sabes, vejo em ti algo de muito especial que nem tu consegues ver. Tentei, durante alguns anos, ser chamado por ti sem tomar a iniciativa de ir ter contigo. Queria ver com os meus próprios olhos o que o sentido mostra, mesmo sabendo que os teus não iam ver. Mas, como continuo a acreditar que posso mudar o mundo, acredito também que irás ver quando tiveres que ver... Um abraço paciente :-) esperando que continue mesmo a acontecer... a resposta está sempre ao nosso lado :-) Bom Ano

Anónimo disse...

É preciso ser muito teimoso.

Pouco anónimo :-) disse...

Outro anónimo disse :-): sem a persistência necessária nada acontecerá que valha realmente a pena :-))