sexta-feira, fevereiro 23, 2007

Suseia!


Valença > Porriño > Redondela > Pontevedra > Briallos > Padron > Santiago. Ainda a quente (ou melhor, finalmente quente), a primeira impressao desta peregrinaçao. Uma certeza: é impossivel descrever, ha que experimentar (como tudo?). Imaginei varias coisas antes de partir, que acabaram por nao se concretizar. Imaginei uma caminhada marcada de (algum) sofrimento, de bolhas nos pés, etc... imaginei que chegar seria o grande momento, a grande alegria que iria justificar todos os sacrificios... mas parti de coraçao aberto, lavado de expectativas ou preconceitos. Hoje o padre na famosa missa do peregrino na catedral (que "honra" ouvir a "dedicacao" aos 5 peregrinos portugueses que chegaram de valença...) referia os "impulsos de animo, alegria e coragem"... acho que se somarmos a partilha (ou amizade), temos a melhor sintese do peregrinar. De facto descobri que fazer o caminho é uma enorme fonte de alegria, de momentos de enorme paz, de um prazer indescritivel... ao percorrer campos e veredas, ou mesmo estreitas bermas de estradas com condutores acelerados, com sol, chuva ou ambos, ao vencer todos os pequenos desafios, ao descobrir todos os pequenos pormenores, ao cumprimentar todas as pessoas e todas as aves, em cada copo de vinho (e mesmo em cada barra de cereais), em cada "reza da treta" (as nossas reflexoes partilhadas ao final do dia, ja enfiados nos sacos-cama), ao viver cada momento, passo após passo... enfim, nao consigo mesmo transmitir, repito: ha que experimentar. Ao chegar à catedral, 6 dias depois da partida, em pleno temporal, nao foi o momento de exultaçao esperado, foi um momento de serenidade, de agradecimento, de reconciliaçao, com a chuva a cair abençoada directamente do Céu, lavando-nos a alma até aos ossos... duas coisas "misteriosas" foram-nos ditas antes da partida: "mais do que passar pelo caminho, ha que deixar o caminho passar por nós" e "chegar a santiago nao é o fim, é o principio". é, ha coisas que só se descobrem por nós proprios...

PS. as bolhas acabaram por nao aparecer... o milagre do Vic?

PS. acho que foi uma experiencia muito particular fazer o caminho nesta epoca do ano... primeiro pelo frio e pela chuva, ao contrario do sol abrasador que costuma "castigar" os peregrinos... depois ficamos sempre sozinhos nos albergues e nunca nos cruzamos com outros peregrinos, exceptuando um grupo de "falsos" peregrinos de lisboa (vinham de camioneta) e um eslovaco que vinha de bicicleta e ja tinha percorrido a europa toda e se prepara para atravessar portugal e depois o norte de africa... partiu em setembro de 2003 e nao sabe quando ira regressar... tinha uma tosse cavernosa e curiosamente foi ver os jogos da liga dos campeos, num comportamente pouco proprio para um asceta :)

PS. cheguei no dia 22 de fevereiro... dia em que o meu irmao, se fosse vivo, faria 40 anos...

PS. fica cumprida uma promessa antiga... ja fiz outra! :)

PS. o caminho tem troços lindissimos, mas tb outros bem assustadores... foi por isso tb um exercicio de aceitacao para um ambientalista por vezes pouco tolerante

PS. uma semana de "simplicidade", apesar do vestuario quechua... sem telemovel nem e-mail, com todos os pertences numa mochila as costas... como sabe bem a liberdade!

8 comentários:

Jacobeus disse...

Fiquei emocionado com a leitura da tua reflexão. Muito mesmo... ao ponto de as lágrimas espreitarem...

É isso o Caminho... Isso e tudo o mais que viveste e sentiste.

São relatos como os teus que justificam o nosso trabalho.

Obrigado!

P.S.: Vou copiar esta tua reflexão e coloca-la no nosso sítio. Não, nao espero pela tua aprovação. Abraço. (Franco)

Anónimo disse...

Olá Pedro, tamos aki com um problema.
A Ana não consegue postar a sua mensagem...
Podes a ajudar?

Ana Lobo disse...

Olá Pedro, sou a Ana, o Franco já me ensinou... não preciso mais da tua ajuda para isto.
Um beijo mt grande.

Sílvia Santos disse...

Olá Pedro, sou a Sílvia... gostei mt de Paris, e do teu Blog tb. Mas a Ana necessita q a ensines a escreve no teu blog.
Obrigado pela atenção

Ana Lobo disse...

Olá Pedro!
Eu e a Sílvia pedimos desculpa, o Franco hoje não está bem, meteu-se nos copos!! (sabes como é) Está possuído!!
Mil Desculpas!

Anónimo disse...

Mas afinal quem é a ANA?

ping disse...

A Ana é... a Ana!

Que raio de conversa da treta!!!

Ping

Anónimo disse...

"...Caminhante, não há caminho
Faz-se caminho ao andar..."


E depois aquela claríssima impressão ao chegar... que... agora começa o caminho!

Sofia, Porto