quinta-feira, junho 07, 2007

E alguém me gritava Com voz de profeta Que o caminho se faz Entre o alvo e a seta


Quem me leva os meus fantasmas?
Quem me salva desta espada?
Quem me diz onde é a estrada? ...

2 comentários:

Ribeiro disse...

"Neste preciso momento, para as pessoas e nações da terra, possam jamais serem sequer escutadas as palavras doença, fome, guerra, sofrimento; mas que cresçam a sua boa conduta moral, méritos, riqueza e prosperidade, possa a suprema boa fortuna e bem-estar sempre se erguer para elas."
- Sua Santidade Kyabje Dudjom Rinpoche

Om Mani Padme Hum
Om Mani Padme Hum
Om Mani Padme Hum

seforis disse...

Vou dizendo...não te esqueças que entre ti e a espada ainda existe um corpo que constroi estradas alternativas e alvos que não sofrem o seu impacto. Um abraço!