sábado, junho 16, 2007

perdi a cabeça...


jágora... sigo um pouco com a minha pendente análise biográfica (vou no terceiro septénio)... nesta escola estive do 8.º ao 12.º ano... depois do periodo de "trenguice", finalmente comecei a acordar para a vida, ou como diziam os professores e funcionarios, chocados ou seduzidos, comecei a "sair da casca"... isto lá para o 10.º ano... foram os tempos das (muitas) namoradas, da susana (conhecida pelo telefone, amiga da sandra, a minha phone-friend da areosa), da outra susana (a primeira mulher que me ofereceu flores... e talvez a que recorde com mais carinho), da elsa (a que durou mais tempo), ainda da outra susana (caso estranho), da lola (a que mais me custou magoar), da da da... do rockabilly seguido pelo psychobilly (peste&sida, the cramps, the meteors, ultraje a rigor...), das suiças seguidas pelo cabelo cor-de-laranja, do "ars nova" seguido pelo "pátio das mijonas" e do "lá lá lá", dos cavaleiros e do sal e limão... seguido de tequilha, das excelentes notas e dos chumbos prepositados, das economias seguidas pelas quimicotecnias, da timidez seguida pela auto-estima, de vidago a merignac, do rio de janeiro profundo (a soltar pipa com os moleques da rua) para a faixa de gaza, do mitico acampamento no geres para a inesquecivel segunda viagem ao brasil, dos passeios a fatima ao perola negra, da salomé que me levou ao primeiro amor (de seu nome Agostinha, que me acordou para a revolução e para a poesia), das praias de matosinhos e da piscina de leça para o mindelo e as caminhadas e canaviais sem fim, das longas cartas e do primeiro jornal da escola, da primeira associação de estudantes (nasceu o activista) a vitima da politica partidaria, da taça dos campeos europeus (o rato ainda por lá anda nos super-dragoes) à libertação do mandela, das motas a abrir e das calças a rasgar, do inverbe ao emancipado, do crisma à cisma em descobrir o mundo, de coração aberto, com grandes amores, grandes amizades, grandes duvidas e enormes certezas: carpe diem

ps.
ufa, bons tempos... :)

2 comentários:

Anónimo disse...

"Carpe Dien"
É para isso que existimos...

seforis disse...

Esta cara conheço! Lembro-me perfeitamente dela!!!