domingo, março 11, 2007

ontem tb foi... perfeito


formação em valença pela manha, com uma excelente apresentação pela carolina do que sao as redes sociais (semelhantes a agendas 21).... contou uma bela "lenda" sobre um mestre e dois discípulos. estes estavam irritados com o mestre que tinha sempre razao e por isso decidiram "chatea-lo". decidiram pegar num passarinho e esconde-lo atras das costas, perguntando ao mestre se estava vivo ou morto. se ele respondesse que estava morto, soltavam-no e mostravam que estava vivo. se disesse que estava vivo, torciam-lhe o pescoço e mostravam-no morto. o mestre, perante a questao, olhou bem fundo nos olhos dos discípulos e respondeu: o passaro está nas vossas maos.

(fez-me tb lembrar o livro que tenho por escrever)

de tarde fomos passear de bicla na rom. tenho andado afastado de lá nas ultimas semanas porque tenho-me sentido cada vez mais cansado de todo este jogo de impasse do Tio, que claramente quer ver o sitio cada vez pior e simultaneamente passar a mensagem de que esta a tentar mudar (ver o ultimo numero do pasquim verde), sem de facto nada fazer, antes pelo contrario. decidido a zelar pela vida do passaro (e nao ceder perante o jogo do Tio), e com os amigos de arvore, limpamos (mais) um monte de entulho... foi um prazer ver o trabalho terminado e (mais) duas jovens que chegaram para dar uma volta de bicicleta e apreciar o espaço...

à noite fomos (comunidade do burgal) ver um ballet a famalicao na casa das artes. "a solo com os anjos"... da primeira fila podemos apreciar todos os pormenores, incluindo a respiração ofegante dos seres que representaram todo o longo historial da vida na Terra, e algures no paraiso, sempre omnipresente no apoio dos anjos nos momentos mais dificeis... fez-me lembrar uma outra "lenda". aquela do jovem que, perante s. pedro que lhe mostrou o seu caminho ao longo da vida em forma de pegadas na areia, reclamava: nos momentos mais faceis ha sempre dois pares de pegadas, as minhas e do meu anjo. mas nos momentos mais dificieis so havia um par... o meu anjo abandonou-me quando mais precisava dele. ao que s. pedro respondeu: nesses momentos so ves um par de pegadas porque o anjo te carregava ao colo...

1 comentário:

cristin@ disse...

Gosto de anjos e, mesmo sem os ver, reconforta-me pensar que eles existem e me protegem.
Um dia, para explicar a morte de um bebé, uma criança de 5 anos explicou-me o que nos acontece depois de morrermos: "Quando as pessoas morrem ganham asas. Se as pessoas forem grandes ganham asas grandes...se forem bebés ganham asas pequeninas." Senti-me bem com esta explicação...pois senti que não tinha perdido pessoas de quem gostava...Mas afinal tinha ganho mais um anjo que me protege … e mais uma estrela que brilha no céu…
Um dia também me irei transformar num anjo (e nunca numa “anjinha”, espero eu) e proteger as pessoas de quem eu gosto… e que irão partir, nessa viagem só de ida, depois de mim…

PS:...e nada como um espectáculo de ballet para ajudar na digestão de um rodízio :o)