terça-feira, janeiro 23, 2007

oferecem-se prémios


"Quem denunciar casos de corrupção e entregar provas deve beneficiar de «um prémio» que pode ir até ao arquivamento dos crimes contra si, isto quando o denunciante for também co-autor dos ilícitos.

A ideia foi defendida esta terça-feira pela procuradora Maria José Morgado, durante a apresentação do livro «Paulo Morais: Mudar o Poder Local», no Porto. Porque «isto [corrupção] não é uma fatalidade»..."

PortugalDiário [2006/05/31]

4 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

A corrupção não existe! Há, porventura, "vícios processuais" de pequeno calibre, que são necessários para "agilizar" as estruturas. É preciso "flexibilizar", procurar soluções "expeditas" para ultrapassar esta "burocracite" que "tolhe" os movimentos e causa "empecilhos" de toda a ordem. A "urgência" é a mãe de muitas ultrapassagens (dribles?) à lei.

Por falar em lei... quem só fala em "corrupção" são os "legalistas", esses "legalistas" mesquinhos que não sabem o que custa mandar!...

Mandar é tão difícil que... se vocês soubessem... teriam dó de quem é obrigado a exercer o poder!

Anónimo disse...

E quando o denunciante não for co-autor dos actos ilícitos? Que prémio propõe a senhora Procuradora Geral Adjunta?
Mas porque é que se há-de propor a oferta de "prémios" a quem comete crimes?
Mas que coisa!

Eva disse...

Sendo assim... quer dizer que a Carolina sempre se safa?!

bravosdomindelo disse...

não. a carolina é co-autora de um crime de agressão e não de um crime de corrupção.